bettina-grajcer_socia-fundadora-da-auiri

ESG e o poder da comunicação

Não é segredo para ninguém que a comunicação, seja ela nos formatos mais tradicionais da publicidade, ou quando aplicada nas mais grandiosas experiências, é uma ferramenta poderosa para o despertar da consciência. Especialmente quando se trata de mobilizar ações cruciais que promovam transformação.

No atual contexto em que vivemos, onde a sustentabilidade e a responsabilidade social têm ganhado cada vez mais destaque, nos questionamos como o mercado da comunicação, e em especial o de Live Marketing, que engloba em seu ecossistema as marcas e tomadores de decisão do mercado, podem se tornar amplificadores efetivos das práticas de ESG.

E essa resposta está em como devemos utilizar toda a influência e a capacidade inegável de moldar o comportamento e cultura coletiva que a comunicação possui, nos utilizando das mais diferentes plataformas e tipos de conteúdo e ativação.

Este poder, que não chegou nem perto de ter todo o seu potencial explorado, quando for bem direcionado, pode ser uma força significativa na promoção de mudanças sociais e ambientais urgentes. Dada a realidade dos efeitos das mudanças climáticas que já vivemos, sendo um grande exemplo tudo o que vem acontecendo no Rio Grande do Sul, já se tornou algo imperativo que o mercado olhe com mais afinco para esse movimento.

E ainda que exista muito para ser feito, o primeiro passo para redefinir os propósitos de transformação de qualquer instituição ou marca está na compreensão dos desafios e riscos existentes e das oportunidades para transformação positiva em sua cadeia, o que se alinha à desconstrução de um olhar que é totalmente direcionado apenas para o crescimento financeiro da empresa no curto prazo.

Na prática, as ações de comunicação devem ser utilizadas como ferramentas de conscientização que promovam a mudança necessária na sociedade. Elas podem ser direcionadas para as lideranças que comandam o negócio, garantindo o alinhamento de diretrizes e mensagens chaves, mas, ela precisa olhar também para o consumidor final, que segue atento e ávido por consumir de quem realmente valoriza essa mudança. E isso inclui não apenas produtos cada vez mais sustentáveis, mas também eventos e ativações de marca comprometidos em minimizar seu impacto, com escolha de matérias-primas sustentáveis na produção, cuidado na coleta e destinação dos resíduos, buscando ser lixo zero, redução nas emissões de gases de efeito estufa, com uso de combustíveis renováveis, e compensação para se tornar carbono neutro, além de garantir o cuidado social com boas condições e práticas trabalhistas.

Ações de comunicação também são uma excelente oportunidade de apoiar causas, criando uma conexão do público com temas de interesse das marcas. Um exemplo que temos com a atuação da Auíri no mercado está em uma ação que realizamos no litoral da Bahia, onde aproveitamos um evento para incluir uma ação de engajamento ambiental. Foi realizada a coleta de plásticos e resíduos na praia do Forte, estimulando a comunidade local a ter práticas corretas de descarte. Os resíduos coletados foram transformados em mini-bóias, produzidas pelo artista plástico Eduardo Srur e doadas para serem comercializadas pelo projeto Tamar, reconhecido internacionalmente como uma das mais bem-sucedidas experiências de conservação marinha, fazendo com que mais pessoas fossem impactadas e revertendo toda a renda a um projeto de proteção às praias.

É preciso reconhecer os desafios que acompanham qualquer mudança para a implantação de ações efetivas, porém, é igualmente importante destacar os progressos que já estão sendo feitos. A inclusão do tema da sustentabilidade no âmbito empresarial já representa uma conquista significativa, e acompanhar essas evoluções é fundamental para compreender a relevância do assunto.

Outro ponto importante é que as práticas de ESG precisam incorporar atuações de forma genuína, não apenas em datas sazonais, como por exemplo a semana do meio ambiente. Mesmo que seja um momento em que possamos reforçar a importância da transformação.

Acreditar no poder do mercado de experiências como uma ferramenta estimulante para comunicar e ampliar essa mensagem, trata-se de um compromisso que devemos firmar com tudo o que podemos fazer para transformar as mais diferentes realidades.

Bettina Grajcer, sócia-fundadora da Auíri, agência de marketing de impacto da Holding Clube

COMPARTILHE

Preencha o formulário: